quinta-feira

Escrevo estas linhas com os dedos que à bem pouco estiveram agarrados aos teus e que agora, estão sim agarrados ao sonho de te voltar a ter, poder sentir todas as emoções que transmites para o meu peito. São portanto, os dedos que nunca vão querer provar o sabor de não ter os teus entrelaçados aos meus nem de não sentir a maciez da tua pele. Já cravo na minha pele e até no meu coração, o teu nome, mas sem nunca te dizê-lo talvez por falta de coragem, talvez pela tua também falta de coragem de o fazer, por enquanto... Estes mesmos dedos têm percorrido os sítios mais bonitos que podem existir que tu próprio me fazes conhecer com a ponta deles. A minha mão teima em pegar na tua mão e passear os meus dedos pelos teus, como se pudesse desenhar o meu mundo na tua pele. Agora, abre tu as tuas mãos e guarda-me em ti que és o principio e fim e estás no meio de tudo, deixa-me ficar aí junto deste amor imenso, doce que te pertence.

É que eu rendo-me a ti, à força de um amor que não nego.

2 comentários:

catraia disse...

oh, o 7 é TUDO *-*

Kathy Bz disse...

amei seu modo de escreveer.
Beijos