quinta-feira


" Dele, para ela:

Eu nunca tive a intenção de te magoar, de te ver a sofrer, de te ver deprimida. Hoje, eu vejo o meu maior medo transformando-se em realidade: tu a chorares por mim. Eu nunca quis isso, a sério mesmo, mas nem sempre a vida é como esperamos, como queremos, como sonhamos, e eu sinto-me mal fazer-te passar por isso. Foram horas, dias, meses, anos gastos a pensar em ti, e eu passei a pensar em como estarias, em como te estavas sentindo, se querias-me ver aí, ou aqui, mas mesmo depois de tudo o meu coração continua a ser apenas teu. Sempre foi e sempre será, não importa o que digas ou o que faças. Lembranças, ainda bem que elas existem, porque eu não sei o que seria de mim sem pelo menos poder lembrar de ti, do teu cheiro, do teu beijo. O meu desejo é voltar, mas eu preciso ficar, se me amas entende: o meu lugar não é ao teu lado. Por favor, perdoa os meus erros, e mais este. Por favor, esquece o que tivemos, esquece as brigas e os juramentos, esquece o que passámos. Esquece-te de mim, da minha existência. Somos de mundos diferentes, de vidas diferentes. Desculpa-me, por te ferir novamente, por fazer dos teus pesadelos uma realidade. Vou fazer de tudo para não te fazer sofrer novamente, mas o adeus é inevitável. Eu amo-te, sempre amei e sempre amarei.

Dela, para ele:

Se não foi a intenção, porque aconteceu? É, a vida não é o que esperamos. Nos meus sonhos seriamos eu e tu, para sempre, chegaríamos na terceira idade com o mesmo amor que tínhamos hoje, a mesma paixão. As horas, os dias, os meses e os anos se passaram, e eu não cresci com eles, não esqueci com eles e muito menos deixei de te amar com eles, e nunca vou deixar. Eu não mudei, eu sou a mesma, só que mais triste, mais sozinha. Eu não entendo, se tu me amas por que me pedes para esquecer? Porque me fazes sofrer? Porque que me pedes coisas impossíveis como: "esqueça da minha existência’’? Eu nunca, nunca, nunca te vou esquecer, tu és vivo em mim, nos meus pensamentos, nas minhas acções, na minha vida. O nosso mundo é o mesmo, a nossa vida é diferente. Tu és diferente como todos são, como sempre serão. Minha realidade sem ti é difícil, é estranha, é simplesmente horrível, e sim, os meus pesadelos são a minha realidade. Eu não te vou desculpar agora porque eu já desculpei, desde o momento em que tudo começou. Desculpei-te por me fazeres apaixonar, por me deixares amar-te e por dizeres que era para sempre. O adeus é inevitável, mas não quer dizer que o queiramos, quer dizer que precisamos dele e eu aceito que realmente precisávamos desse adeus. Eu nunca, deixei de te amar, desde o primeiro momento que te vi soube que seríamos felizes, juntos. Separados somos infelizes, porque eu sinto nas tuas palavras a tua infelicidade, eu sinto a tua saudade, eu sinto a tua dor."

9 comentários:

Joana Sá disse...

Até faz chorar :| *

Mel disse...

sigo :)
segues me tambm?
adorei o teu blog *.*

Mel disse...

obrigado querida :)

Brunaa disse...

gostei muito*
já tou a seguir, segues?? bjs

Ludimilly Chaves disse...

seguindo *-*
Te espero no meu ;)

Pat disse...

Adorei o teu blog! lindo mesmo +.+
Sigo :D segues-me? **

Pat disse...

Obrigado :D **

sofia disse...

sigo! segues o meu? :)
o texto é magnífico, quase que chorei ao lê-lo...

sofia disse...

sigo! segues o meu ? :)
o texto é magnífico, quase que chorei ao lê-lo...